As crianças têm direito a um nome

Aprovada em 1959 pela Organização das Nações Unidas, a Declaração dos Direitos da Criança estabelece que é obrigação dos pais registrar o bebê imediatamente depois de chegar ao mundo, já que as crianças têm direito a um nome, uma nacionalidade e a conhecer a identidade de seus progenitores.

Desta forma, o pequeno não só é reconhecido oficialmente (por parte das autoridades do país), também é um lembrete de suas origens, das relações de parentesco que unem a seus pais biológicos e que serão a base para a família, em que se integra, a qual tem de fornecer princípios emocionais para o seu desenvolvimento.

Em outras palavras, quando os pais concordam em nome de seu filho, também estão começando a escrever o início de sua história.

baby-laughing-jpg-838x0_q80

“Que nome eu coloquei meu bebê?”, decisão importante
Basta compartilhar a notícia da gravidez para que amigos e familiares da futura mamãe façam propostas de nomes para bebês. Desde então, todos agradecem, no entanto, a decisão final deve ficar exclusivamente nas mãos dos pais.

Neste sentido, o ideal é que você e seu parceiro chegar a um acordo depois de ponderar cuidadosamente em várias alternativas, pois trata-se do nome que identificará o pequeno para toda a vida e que pode repercutir em suas relações sociais. Para isso, podem-se levar em conta o seguinte:

Façam uma lista com os nomes para bebês que mais lhes agradarem e, se possível, coloquem o seu significado; da mesma forma, cada um pode anotar o que lhe vem à mente em quanto escuta o nome (muitos pais recusam alguns simplesmente porque lhes lembra a tal ou qual pessoa).

Se o nome é muito longo, pode ser adequado inclinar-se por um nome curto e vice-versa.
Pensem no seu “som”, ou seja, se o pronunciarlo juntamente com os apelidos soa melodioso ou parece desagradável ao ouvido (cacofônico). Por exemplo, combinar um nome que termine em vogal com um sobrenome que inicie com a vogal pode soar estranho, como Ana Ambrósio ou Abelardo Olea.

A fim de evitar problemas em documentos legais, o melhor é que o bebê leve um ou dois nomes, no máximo. Ao escolher dois recomenda-se pensar em que devem usá-los em conjunto, na convivência diária, pois é comum que se recorra ao primeiro para falar com o pequeno, e o segundo para chamar a atenção, de modo que acaba recusando-se este último ao associá-lo com brigas e castigos.

Para alguns casais lhes parece original, combinar letras do nome do pai e da mãe, sem pensar que pode ser um nome exótico e digno de zombaria para o pequeno, muito olho!

Evite cair na tentação de modas. Apesar de gostar do nome do personagem mais popular da televisão, o cinema ou o da estrela da selecção de futebol, é provável que vários casais estejam pensando algo semelhante, de forma que seu filho terá o mesmo nome que muitos outros pequenos de sua geração. Cuidado!, ninguém gosta que 3 ou 4 compañeritos da classe se chamem igual.

Aqui apresentamos-lhe uma lista de nomes para bebês e seu significado:

Nomes proibidos para bebês

“Como escolher o nome do meu bebê” é uma abordagem que oprime muitos pais, enquanto que outros parecem tomar de ânimo leve. Se bem que um apelido muito comum podem fazer, por exemplo, que o pequeno passe despercebido na escola, os nomes muito exóticos chegam a ter efeito contrário e, até mesmo, negativo.

Parece difícil de acreditar, mas diante da pergunta: “qual nome eu coloquei meu filho?”, alguns pais, guiados por um momento de emoção passageira (ou pelo menos é o que parece), escolhem nomes para bebês tão raros como “Facebook”, “Twitter”, “Circuncisão”, “nem online”, “Masiosare”, “Tremebundo”, “Robocop”, “James Bond”, ou “Harry Potter”, os quais são degradantes ou pejorativos. Veja mais alguns casos aqui.

Além disso, colocam em risco a integridade dos pequenos, que se tornam presa fácil de provocações e ataques, ou seja, podem se tornar crianças vítimas de bullying… e sim por uma escolha errada de seus pais!

De fato, para proteger os pequenos de sofrer agressões ou ser motivo de apelidos nas escolas, em estados da República Mexicana, como Michoacán e Querétaro, os representantes de escritórios de Registro Civil estão proibidos de registrar crianças com nomes que no futuro possam causar zombaria, escárnio ou desprezo.

Em tanto, em Sonora foi publicado (fevereiro de 2014) uma lista completa de nomes proibidos para bebês por serem considerados pejorativos, discriminatórios, infames, em degradantes, carentes de significado ou que constituem um sinal ou siglas.

Assim, quando enfrentar o dilema de como escolher o nome do bebê, lembre-se que este é para a vida toda, e se bem que você pode fazer as crianças vítimas de bullying, em suas mãos está o que seja motivo de orgulho e ajude seu filho a se destacar desde a sua infância, ou você gostaria que seus pais lhe tivessem nomeado “Batman”, “Pocahontas” ou “Escroto”?

Confira aqui uma lista completa dos nomes mais populares no Brasil!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *